sexta-feira, 29 de junho de 2012

Portal Vaticano news.va completa um ano inaugurando página em português


Exatamente um ano atrás nascia news.va, o portal web que apresenta as últimas notícias dos meios de comunicação da Santa Sé. O portal foi inaugurado pelo Pontífice que, com um "tweet", anunciou a iniciativa do Pontifício Conselho das Comunicações Sociais. Passados doze meses da iniciativa, o presidente do referido dicastério vaticano, Dom Claudio Maria Celli, nos fez um balanço deste um ano de atividades:

Dom Claudio Maria Celli:- "Foi um ano rico porque após a língua italiana criamos a página também em espanhol, inglês e francês. Agora tenho a alegria de anunciar que nesta quinta-feira abrimos também em português. Outro aspecto positivo, que nós consideramos realmente significativo, é que os nossos visitantes são hoje cerca de 10 a 15 mil todos os dias. Segundo as estatísticas, recentemente publicadas, 58,3% daqueles que visitam nosso portal nos conhecem e nos visitam constantemente, 41,7% são novos visitantes. Quem vem visitar nosso sito permanece em média dois minutos e vinte segundos. Isso significa que os nossos visitantes não nos visitam por acaso, mas entram em nossa página propositadamente e o fazem para ler. Outro aspecto que me interessa ressaltar: muitas das nossas noticiais publicadas no portal aparecem também nas redes sociais e aí temos milhões de visitantes."

RV: Qual tem sido o papel da Rádio Vaticano neste um ano de atividades do portal?

Dom Claudio Maria Celli:- "A Rádio Vaticano é duplamente utilizada: mediante o portal podem ser ouvidos os programas da emissora do Papa; além disso, como somos um agregador de notícias, uma das fontes principais das notícias do nosso portal é, justamente, a Rádio Vaticano. De fato, é importante ressaltar, mais uma vez, que há um profundo entendimento e colaboração entre os vários órgãos de notícias da Santa Sé: o L'Osservatore Romano, a Rádio Vaticano, a agência missionária de notícias Fidese o Centro Televisivo Vaticano. Isso me parece ter um significado e diria que essas diferentes fontes encontram uma apresentação única justamente no portal news.va. (RL)

Fonte: Rádio Vaticano

Arcebispos brasileiros recebem pálio nesta sexta-feira


arcebispospalioA Santa Sé anunciou hoje, através de uma nota da Sala de Imprensa, uma explicação de como se dará a imposição do pálio aos arcebispos metropolitanos, que se realiza anualmente no dia 29 de junho, Solenidade dos Apóstolos Pedro e Paulo. Na lista dos que receberão o pálio, nesta sexta-feira, estão 7 arcebispos brasileiros e Dom Filippo Santoro, que foi bispo de Petrópolis no Brasil e é atualmente Arcebispo de Taranto, Itália.

“O rito vai permanecer substancialmente o mesmo”, diz a nota, “porém este ano, seguindo uma lógica de desenvolvimento na continuidade, foi decidido simplesmente mover de lugar o próprio rito, que agora será realizado antes da celebração eucarística”.

A modificação foi aprovada pelo Santo Padre pelos seguintes motivos:

“1. Para tornar o rito mais curto. A lista dos novos arcebispos metropolitanos será lida imediatamente antes da abertura da procissão da entrada e o canto de "Tu es Petrus " não fará parte da celebração. O rito do Pálio terá lugar logo que o Santo Padre chegar ao altar.

2. Para garantir que a celebração eucarística não seja "interrompida" por um rito de um tempo relativamente longo (o número de arcebispos metropolitanos agora é de cerca de 45 por ano), o que poderia tornar a participação atenta e enfocada na Missa mais difícil.

3. Para fazer o rito de imposição do pálio mais de acordo ao “Cerimoniale Episcoporum”, e para evitar a possibilidade de que, sendo após a homilia (como aconteceu no passado), possa ser interpretado como um rito Sacramental. Na verdade, os ritos que ocorrem durante uma celebração eucarística após a homilia, são normalmente ritos sacramentais: o Batismo, a Confirmação, a Ordem, o Matrimônio e a Unção dos Enfermos. A imposição do pálio, por outro lado, não é de natureza sacramental".

Entre os 44 arcebispos que receberão o pálio em Roma, estão os seguintes brasileiros:

Dom Wilson Tadeu Jonck S.C.I., de Florianópolis (SC).
Dom Jose Francisco Rezende Dias, de Niterói (RJ).
Dom Esmeraldo Barreto de Farias, de Porto Velho (RO).
Dom Airton Jose dos Santos, de Campinas (SP).
Dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho, de Teresina (PI).
Dom Paulo Mendes Peixoto, de Uberaba (MG).
Dom Jaime Vieira Rocha, de Natal (RN).

A cerimônia será transmitida ao vivo pela TV Canção Nova, a partir das 4h30 da manhã desta sexta-feira.
Fonte: CNBB

Papa reconhece milagre de Nhá Chica e abre caminho para a beatificação


nh_chicaA cidade de Baependi (MG) acordou com um telefonema muito especial na manhã desta quinta-feira: era o postulador da causa de beatificação da Venerável Nhá Chica, Paolo Villotta. Da Itália, ele avisava que o Papa havia autorizado a promulgação do decreto que reconhece o milagre recebido por Ana Lúcia Meirelles por intercessão de Nhá Chica e a certeza de que a mineira de São João del Rei em breve será proclamada Beata.
Em entrevista à Rádio Vaticano, irmã Gertudres das Candeias, vice-diretora da Associação Beneficente Nhá Chica, descreveu o momento logo após receber a notícia:
“Eu estava fora de casa, hoje pela manhã, e as pessoas na rua começaram a me abraçar. Eu escutava foguetes, sinos. Quando eu cheguei em casa me disseram que foi um telefonema do postulador e a Igreja já estava cheia de gente. Então, nós começamos a agradecer, a rezar, a chorar, todos juntos na mesma alegria e emoção”.
Ana Lúcia Meirelles estava duplamente feliz já que a notícia do reconhecimento do seu milagre aconteceu justamente no dia de seu aniversário, comemorado dia 28 de junho.
“É uma emoção muito grande já que tudo isso acontece no dia do meu aniversário, mas principalmente pela nossa santa. Para mim, no meu coração, ela sempre foi santa”.
O Milagre
“Eu estava péssima, com hipertensão pulmonar. Tive uma isquemia na vista que me impossibilitou enxergar por alguns momentos. Uma isquemia transitória. Era um defeito congênito no coração que eu teria que operar por causa da hipertensão pulmonar e por causa do sangue que passava errado pelo coração. Então, a cirurgia foi marcada mas três dias antes eu tive febre e acabei não fazendo. Isso tudo, sob a proteção de Nhá Chica. Passados sete dias eu notei que eu só melhorava. Seis meses depois, por pressão dos médicos, eu voltei a fazer os exames pré-operatórios. E qual não foi minha alegria ao constatarem por um exame transesofágico que eu estava curada, sem hipertensão pulmonar e que já não havia mais aquela passagem de sangue que causava a hipertensão. Estou aqui há 17 anos, completamente curada, sem problema nenhum. Tudo isso sob a bênção da minha santa Nhá Chica”.
Bento XVI autoriza publicação de novos decretos da Congregação das Causas dos Santos
O papa recebeu em audiência privada, nesta quinta-feira, o prefeito da Congregação das Causa dos Santos, cardeal Angelo Amato. Durante o encontro, Bento XVI autorizou a Congregação a promulgar 18 decretos.
Além do reconhecimento do milagre de Nhá Chica, também foi reconhecido o milagre do venerável Luca Passi, fundador da Congregação das Irmãs Mestres de Santa Doroteia. Em breve, as datas das beatificações de ambos devem ser divulgadas.
Martírios
O papa reconheceu os seguintes martírios:
- Dos servos de Deus Emanuele Borras Ferre, bispo auxiliar de Tarragona e Agapito Modesto, do Instituto dos Irmãos das Escolas Cristãs e 145 companheiros mortos por motivo de ódio à Fé, na Espanha, entre 1936 e 1939.
- Do servo de Deus Giuseppe Puglisi, sacerdote diocesano, nascido em Palermo (Itália) e morto, por motivo de ódio à Fé, em 1993.
- Do servo de Deus Ermenegildo da Assunção e cinco companheiros da Ordem da Santíssima Trindade mortos por motivo de ódio à Fé, em 1936 na Espanha.
- Da serva de Deus Vitória de Jesus, religiosa do Instituto Pio Calasanziano da Divina Pastora, morta em 1937, na Espanha, por motivo de ódio à Fé.
- Do servo de Deus Devasahayam Pillai, leigo indiano morto por motivo de ódio à Fé em 1752.
Virtudes Heróicas
O papa reconheceu ainda as seguintes virtudes heróicas:
- Do servo de Deus Sisto Riario Sforza, arcebispo de Nápoles, cardeal da Santa Romana Igreja, morto em 29 de setembro de 1877.
- Do servo de Deus Fulton Sheen, arcebispo de Newport (EUA) morto em Nova Iorque em 1979.
- Do servo de Deus Álvaro del Portillo y Diez de Sollano, bispo de Vita e Prelado da Prelatura Pessoal da Santa Cruz e da Opus Dei, nascido em Madri e morto em Roma em 1994.
- Do servo de Deus Ludovico Tijssen, sacerdote diocesano, holândes, morto em Sittard (Holanda) em 1929.
- Do venerável servo de Deus Cristóvão de Santa Catarina, sacerdote, fundados da Congregação e o Hospital Jesus de Nazaré de Córdoba, morto na mesma cidade em 1690.
- Da serva de Deus Maria do Sagrado Coração (Maria Giuseppa Fitzbach), viúva, fundadora das Servas do Coração Imaculado de Maria, chamadas Irmãs do Bom Pastor de Québec, morta no Canadá em 1885.
- Da serva de Deus Maria Agelina Teresa, fundadora da Congregação das Irmãs Carmelitanas para os idosos e enfermos, nascida na Irlanda do Norte e morta nos EUA em 1984.
- Da serva de Deus Maria Margherita (Adelaide Bogner). Monja professa da Ordem das Visitações, nascida e morta na Hungria em 1933.
- Da serva de Deus Ferdinanda Riva, irmã professa do Instituto das Filhas da Caridade, nascida na Itália e morta na Índia em 1956.
Em 10 de maio, Bento XVI havia autorizado a Congregação das Causas dos Santos a promulgar o Decreto sobre o martírio do Servo de Deus Giovanni Huguet y Cardona, Sacerdote Diocesano, nascido na Espanha e morto, por motivo de ódio à Fé, na Espanha em 1936.

Fonte: CNBB

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Santarém: Bispo quer valorizar primeira comunhão


O bispo de Santarém quer valorizar a celebração em que as crianças recebem pela primeira vez a Eucaristia, o mais importante sacramento católico, contrariando a sua banalização entre outros acontecimentos festivos dedicados aos mais novos.
A denominada Primeira Comunhão “corre o risco se tornar mais uma festa da infância no meio de tantas outras”, fruto de um “secularismo reinante, fonte do relativismo, da superficialidade e do vazio”, escreve D. Manuel Pelino em nota publicada no site da diocese escalabitana.
O responsável pretende oferecer às crianças “uma experiência religiosa marcante que as motive para continuar, com gosto e fidelidade, o percurso da iniciação cristã em ordem à fé adulta”.
“Temos em vista proporcionar um sinal do encontro com Cristo presente na eucaristia através da experiência do encontro festivo na Sé, do diálogo com o Bispo, da participação ativa e interior numa assembleia eucarística numerosa e viva”, explica o membro da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé.
Depois de sublinhar que “muitos” fiéis conservam a recordação da celebração “como uma referência cheia de encanto e com influência positiva no crescimento da vida cristã”, o bispo de Santarém lembra que a Primeira Comunhão deve ser “uma referência fundamental no percurso do crescimento” espiritual.
“Temos de continuar a rever os percursos de iniciação cristã”, frisa o prelado, aludindo ao Batismo e à Confirmação (Crisma), que com a Eucaristia constituem os primeiros sacramentos da Igreja Católica.


Fonte: Agência Eclclesia

Novo presidente do dicastério vaticano para Família: a família no centro da nova evangelização


O bispo de Terni-Narni-Amelia – norte da Itália –, Dom Vincenzo Paglia, foi nomeado por Bento XVI presidente do Pontifício Conselho para a Família, sucedendo no cargo ao Cardeal Ennio Antonelli, que renunciou por limite de idade. Com a nomeação, Dom Vincenzo foi elevado à dignidade de arcebispo.

Ordenado sacerdote em 1970, Dom Vincenzo foi pároco na Basílica romana de Santa Maria no Trasteve. Ordenado bispo no ano 2000, foi recentemente nomeado presidente da Federação Bíblica Católica Internacional e, posteriormente, presidente da Comissão Ecumenismo e Diálogo da Conferência Episcopal Italiana (CEI). O novo presidente do Pontifício Conselho para a Família é também conselheiro espiritual da Comunidade romana de Santo Egidio e postulador da Causa de beatificação do arcebispo salvadorenho Oscar Arnulfo Romero.

A Rádio Vaticano ouviu Dom Vincenzo Paglia, que nos fala sobre a referida nomeação com a qual é chamado a novas responsabilidades:

Dom Vincenzo Paglia:- "De fato, não há dúvida de que novamente, como outras vezes em minha vida, sou chamado a novas responsabilidades. Procuro, como sempre procurei fazer, responder com prontidão ao chamado do Senhor. Desta vez o Papa me pede para assumir o Pontifício Conselho que tem a família como tema, com todas os seus aspectos multifacetários, e para mim há um significado o fato de o Santo Padre me fazer esse pedido no dia no qual visita as famílias atingidas pelos abalos sísmicos verificados na região italiana da Emilia-Romanha. É como dizer que devo seguir esse exemplo: manter-me nessa fronteira com a mesma atenção que Bento XVI sempre teve. Penso também no que foi a experiência vivida em Milão na Jornada Mundial das Famílias. Ademais, sou grato ao Senhor. Faço um agradecimento ao Papa e também uma oração a fim de que esse ministério possa ser colocado a serviço da Igreja e das famílias."

RV: A família, com o seu papel central na sociedade, sancionada pelo Concílio Vaticano II como "Igreja doméstica", condição de possibilidade da evangelização, está também no centro da nova evangelização...

Dom Vincenzo Paglia:- "Não há duvida de que a insistência para que a família volte ao centro da educação e também da evangelização é um tema que já foi ressaltado de modo extraordinário por João Paulo II, em particular. Não posso esquecer que a criação do Pontifício Conselho para a Família deu-se quatro dias antes do atentado a João Paulo II: quase como que selada com o sangue. E creio que seja importante que todos tomemos consciência, partindo inclusive das famílias. É óbvio que, num tempo no qual a família natural vive momentos muito difíceis, é preciso uma dimensão cultural a ser robustecida para que a família volte ao coração da cultura, da sociedade, da política, da própria economia, assim como Deus o quis. E esse é um compromisso absolutamente extraordinário. Ademais, existe a família cristã, fortalecida pelo Sacramento, de modo que é, de certa forma, sinal e instrumento da comunhão entre todos. Nesse sentido as famílias cristãs têm uma responsabilidade diante da sociedade contemporânea, responsabilidade que assume realmente uma grande perspectiva. Devemos ter grandes ambições, grandes sonhos sobre a família." (RL)

Fonte: Rádio Vaticana

Governo cria 77 mil cargos federais em instituições de ensino


O governo sancionou nesta terça-feira, 26, a Lei 12.677 que cria mais de 77 mil cargos para as universidades e institutos federais de ensino. 

Do total, 43.800 serão para professor, 19.500 serão destinados às universidades federais e 24.300 vagas para instituições federais de ensino básico, técnico e tecnológico. 

A nova lei cria ainda 27 mil cargos para técnicos administrativos, 1.600 cargos de direção e 3.900 para funções gratificadas. 

A resolução foi publicada no "Diário Oficial da União".


Fonte: Canção Nova

segunda-feira, 25 de junho de 2012


Reunião em Belo Horizonte traça novos capítulos para o subsídio do Setor Universidades

SEG, 25 DE JUNHO DE 2012 
POR: CNBBsetoruniversidadesjunho2012

Os integrantes do Setor Universidades da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se reuniram em Belo Horizonte (MG), de 20 a 22 de junho, na casa das Irmãs Sacramentinas de Nossa Senhora, para dar continuidade à elaboração do subsidio das Linhas Gerais da Ação Evangelizadora nas Instituições de Ensino Superior.
Em 2006, sendo bispo referencial do Setor, dom Eduardo Benes de Sales, arcebispo de Sorocaba (SP), preparou um pequeno texto intitulado: “Ação Evangelizadora no meio Universitário”, na qual se recolhiam as experiências existentes no meio universitário e se apontavam, como eixos desta ação, o serviço, o diálogo, o anúncio e testemunho de comunhão eclesial. O texto foi publicado pelas Edições CNBB, no subsídio “Pastoral Universitária”, por motivo do 1º Encontro Brasileiro de Universitários Cristãos (EBRUC), que aconteceu em Belo Horizonte, de 10 a 12 de outubro de 2010.
“Na caminhada de aproximação e diálogo com as diferentes expressões da ação evangelizadora no meio universitário, surgiu a necessidade de construir juntos umas linhas gerais, umas pistas de atuação que ajudassem a todos a identificar e fosse um subsídio para  aqueles que iniciam uma ação evangelizadora na Universidade”, explicou a assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e Educação, da CNBB, irmã Maria Eugênia Lloris Aguado.
setoruniversidadesjunho20122Na reunião desta Comissão, em 2009, um pequeno grupo traçou os elementos fundamentais, esquema prévio com os elementos fundamentais que deveriam ser tratados e que eram consenso de todos. Com um primeiro texto, publicado em fevereiro de 2011, na cidade de Curitiba (PR), 40 representantes das Pastorais Universitárias debateram e foi traçado um programa de trabalho chegando à segunda versão do texto: “Linhas Gerais da Ação Evangelizadora nas Instituições de Ensino Superior”.
Neste final de semana, 23 e 24 de junho, dando continuidade ao processo de construção a Comissão decidiu que os dois primeiros capítulos serão disponibilizados on-line.
O encontro contou com a presença do presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e Educação, dom Joaquim Giovani Mol Guimarães; do bispo referencial do Setor Universidades, dom Tarcísio Scaramussa; do bispo referencial para a Educação no Regional Centro-Oeste da CNBB, dom Waldemar Passini; e da assessora do Setor Universidades, Irmão Maria Eugênia, além dos colaborados do Setor e da Comissão.
Dom Tarcísio Scaramussa abriu o debate apresentando o plano para o Setor para os anos de 2011 a 2015. Já dom Joaquim Giovanni Mol participou na tarde do sábado, 23, nos debates, com contribuição de aproximação das urgências das diretrizes às Instituições de Ensino Superior, propondo a vivência de comunidades de fé em pequenos grupos de interesse.
“O mais importante neste processo é a comunhão que nasce a cada dia mais forte, o Espírito que anima os esforços de afinar a linguagem, e chegando a conceitos que são consenso e que permite a comunhão nas nossas diferenças. O Setor nasceu como espaço de comunhão e de dialogo confirmando a sua missão em experiências como estas, em espaços de reflexão e dialogo que contribuem para uma pastoral de conjunto. O Setor e as Pastorais tecem a sua história, entrelaçando as linhas da sua ação evangelizadora”, expressa a assessora do Setor, irmã Maria Eugenia
.

Segunda-feira, 25 de junho de 2012, 10h21

Vaticano pede maior promoção à vocação sacerdotal

Nicole Melhado
Da Redação, com Boletim da Santa Sé (Tradução: equipe CN Notícias)


Arquivo
O prefeito da Congregação para a Educação Católica, Cardeal Zenon Grocholewski, apresentou a primeira parte do documento.
Foi apresentado na manhã desta segunda-feira, 25, no Vaticano, o Documento "Orientações pastorais para a promoção das vocações ao ministério sacerdotal".

O documento está estruturado em três partes: a primeira examina a situação atual, seja das vocações como do ministério sacerdotal nas várias partes do mundo; a segunda aborda a vocação e a identidade do sacerdócio; e a última parte, por fim, indica propostas para a pastoral das vocações sacerdotais.


O prefeito da Congregação para a Educação Católica, Cardeal Zenon Grocholewski, explica que a primeira parte do documento indica, sobretudo, três razões principais que contrastam a pastoral vocacional e que tornam evidente nas Igrejas de antiga tradição cristã no ocidente: O declínio da população e da crise da família; a difusão da mentalidade secularizada; as difíceis condições de vida e do ministério do padre.

Já na segunda parte é oferecida uma apresentação resumida e global da identidade e do ministério sacerdotal, mais concentrada no perfil teológico e espiritual do padre.

"A síntese da doutrina teológica e espiritual apresentada nestes parágrafos responde a duas exigências. Antes de tudo, a intenção é colocar em destaque as características essenciais da vocação ao sacerdócio, com referência à sintese oferecida pelo Concíclio Vaticano II e desenvolvida no Ministério pós-concílio, sobretudo na Pastores dabo vobis", explica o secretário da Congregação para a Educação Católica, Dom Jean-Louis Bruguès.

A terceira parte é a mais longa do documento e propõe uma série de indicações concretas sugeridas por todas as conferências episcopais consultadas. Na primeira frase do capítulo lê-se: “Em alguns países registra-se um vigoroso e promissor florescimento das vocações sacerdotais, que encoraja o prosseguimento no caminho da promoção vocacional”.

“É interessante confrontar a evolução das vocações ao sacerdócio ocorrida nos últimos 10 anos. Observamos o número de estudantes de filosofia e teologia, seja nas dioceses que nas congregações religiosas masculinas distribuídas nas diversas áreas geográficas”, esclarece o subsecretário da Congregação para a Educação Católica, Dom Angelo Vincenzo Zani.

Na Europa, por exemplo, se constatou uma maior carência de vocações sacerdotais. Os estudantes de teologia e filosofia nos centros diocesanos em 2000 eram 26.879 e em 2010 passaram a ser 20.564.

Já na América Latina, os dados se mostram mais estáveis, mas com uma pequena elevação: Em 2010, os estudantes de teologia e filosofia nos centros diocesanos em eram 20.79, e, em 2010, passaram a ser 20.919.

Uma solicitação importante feita no documento diz respeito à Vigília do Ano da Fé que é um chamado a “propor a experiência de fé como relação pessoal e profunda com o Senhor Jesus Cristo”.

“O documento repete novamente o campo fértil para a semeação vocacional, é uma comunidade cristã que ouve a Palavra, reza com a liturgia e testemunha a caridade. Ele dirige a toda Igreja a um encorajamento, a retomar com confiança o próprio empenho educativo para o acolhimento do chamado de Deus ao ministério sacerdotal”, conclui Dom Angelo. 

Fonte: CN Notícias
Segunda-feira, 25 de junho de 2012

Por que ser batizado enquanto criança?

Jéssica Marçal
Da Redação


Arquivo
'Desde cedo devemos desejar que toda a riqueza da graça e das bênçãos divinas habitem na vida de cada filho ou filha', destacou padre Sérgio

Livrar o ser humano do pecado original e torná-lo imerso no nome de Deus. Na fé católica, essas duas etapas tão importantes são concretizadas com o sacramento do Batismo, que comumente é realizado logo nos primeiros meses de vida. Muitas pessoas, porém, ainda se perguntam se o mais certo não seria o batismo na fase adulta, uma vez que assim haveria liberdade de escolha.


Na abertura da Conferência Pastoral Eclesial da Diocese de Roma, na Itália, deste ano, o Papa Bento XVI falou sobre a importância do Batismo e o reafirmou enquanto uma necessidade para o ser humano. Ele enfatizou que ser batizado não é uma escolha como outra qualquer, da mesma forma que não é possível escolher nascer ou não neste mundo.


Em entrevista ao noticias.cancaonova.com, o administrador da Diocese de Tubarão (SC), padre Sérgio Jeremias de Souza, esclareceu algumas das reflexões do Papa sobre o sacramento. Em relação à liberdade de escolha, o padre recordou que Deus não fere a liberdade do ser humano, muito pelo contrário.  “Ele a alarga (a liberdade) e dá a verdadeira dimensão de vida plena. Ele não nos tira nada, mas nos dá tudo, sobretudo a participação em seu ser divino”.


O padre destacou ainda que os pais sempre querem o melhor para seus filhos, daí o batismo acontecer logo na vida da criança. “Se Deus é algo bom para a minha vida de pai e de mãe, aquilo que é um bem para mim eu o quero também para meus filhos. E não há duvidas: o melhor é Deus, sempre”. 



Leia abaixo a íntegra da entrevista com padre Sérgio Jeremias


noticias.cancaonova.com - Uma das consequências do Batismo, segundo o Papa, é o ato de tornar-se cristão, o que não depende somente da vontade da pessoa, mas de uma ação de Deus. Trata-se então da pessoa aceitar, a partir do Batismo, o projeto de Deus em sua vida?  


Pe. Sérgio Jeremias de Souza - Sim, muito mais do que um gesto social ou um gesto feito por tradição religiosa, o santo Batismo é uma imersão no ser de Deus mesmo e, por consequencia, nos planos e desígnios de Deus. Há uma misteriosa "parceria" que acontece a partir do sacramento do Batismo: Deus, que poderia realizar tudo sem minha participação quer, a partir de agora, contar comigo, com meu sim existencial aos seus divinos desígnios. A partir deste momento, a vontade de Deus passa a ter prioridade em minha vida; o que Ele quer e pede que eu faça precisa estar na dianteira de minhas decisões. A partir desta escolha fundamental, aquilo que a palavra de Deus ensina passa a ser um parâmetro de decisões: "Posso fazer tudo o que quero, mas nem tudo me convém" (1 Coríntios 6,12).


noticias.cancaonova.com - O Papa enfatiza que o Batismo é necessário, não é uma escolha qualquer, assim como não se escolhe viver ou não. Como explicar, então, que batizar a criança quando bebê não é uma ofensa à sua liberdade religiosa? 


Pe. Sérgio - O Papa foi extremamente sábio ao acenar para esta resposta em seu discurso na Conferência Pastoral da Diocese de Roma, quando disse: "O Batismo das crianças não é algo contra a liberdade, é justamente necessário isso, para justificar também o dom da vida. Somente a vida que está nas mãos de Deus, nas mãos de Cristo, imersa no nome do Deus Trinitário, é certamente um bem que se pode dar sem escrúpulos." Em outras palavras, poderíamos dizer que, se Deus é algo bom para a minha vida de pai e de mãe, aquilo que é um bem para mim eu o quero também para meus filhos. Costumamos até comparar: os pais sabem que vacinas são necessárias para seus filhos (apesar da dor que muitas vezes sentem ao tomá-las); eles não esperam que seus filhos cresçam para decidirem se vão ou não querer receber estas vacinas, eles encaminham seus filhos para recebê-las porque sabem que é um bem. Poderíamos ainda recordar que nosso Deus em nada fere nossa liberdade, Ele a alarga e dá a verdadeira dimensão de vida plena. Ele não nos tira nada, mas nos dá tudo, sobretudo a participação em seu ser divino.


noticias.cancaonova.com - O Batismo é um sacramento necessário à vida da criança, para que ela possa entrar, desde cedo, em comunhão verdadeira com Deus. Mas, sendo bebê, ela não pode escolher fazê-lo. Isso desperta atenção para o essencial papel dos pais na iniciação da criança na vida cristã. Qual é esse papel, qual a melhor orientação para despertar nos pais essa preocupação em batizar seus filhos o quanto antes? 


Pe. Sérgio - Gostaria de tratar de dois temas essenciais para poder responder amplamente a esta pergunta. 1. Desde cedo devemos desejar que toda a riqueza da graça e das bênçãos divinas habitem na vida de cada filho ou filha. É o céu habitando já dentro de nós a partir do santo Batismo. E como não desejar o céu em nós? Como não desejar a presença trinitária nos fazendo templos de sua divindade? Pais conscientes dão o melhor para seus filhos, também e, sobretudo, em termos de fé. E não há duvidas: o melhor é Deus, sempre. 2. Uma das coisas que precisamos lembrar sempre aos pais é que as crianças aprendem, sobretudo, por imitação em suas etapas iniciais da vida. Se Deus for buscado desde cedo pela família, amado pelos pais, celebrado em comunidade eclesial, Ele não será um ilustre desconhecido para os filhos e filhas. Aquilo que aprendemos por gestos concretos (neste caso o amor a Deus) marca permanentemente nossas vidas.


noticias.cancaonova.com - O rito sacramental do Batismo envolve dois elementos, basicamente: a água e a palavra, que têm todo um significado para o sacramento em si. À vezes as pessoas desconhecem a plenitude da riqueza do sacramento. O Batismo seria melhor vivenciado se ele fosse melhor compreendido, em todos os detalhes do rito sacramental? 


Pe. Sérgio – Exatamente.  E aí está a importância de cursos para pais e padrinhos bem preparados e administrados. Aquilo que não é conhecido não é amado. Conhecer bem a riqueza dos gestos e símbolos que a Santa Mãe Igreja preparou ao longo dos séculos para a administração de cada sacramento é uma forma de amá-los mais. Há aquilo que é essencial, mas há também outros elementos e gestos belíssimos no sacramento do Batismo que não podem e nem devem ser ignorados. A salvação e libertação que Cristo opera em nós são belissimamente visualizadas em cada momento da recepção deste sacramento. Talvez no Rito de Iniciação Cristã de Adultos para o batismo isso tudo seja mais perceptível, pelo fato de ser solenizado e feito em etapas. Mas também no batismo de crianças esta riqueza está presente.

Fonte: Canção Nova Notícias

quinta-feira, 21 de junho de 2012


Comissão para Juventude apresenta Semana Missionária

QUI, 21 DE JUNHO DE 2012 POR: CNBBConselhopermanente21062012jmj
Os bispos que participam do Conselho Permanente da CNBB acompanharam durante a tarde desta quinta-feira, 21 de junho, a apresentação sobre os preparativos para a Semana Missionária, que antecede a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), no Rio de Janeiro em 2013.

De acordo com o assessor da Comissão para a Juventude, padre Carlos Sávio Ribeiro, serão elaborados subsídios para a preparação dos jovens e adultos participantes, além de um manual de instruções para o projeto do evento em cada diocese. Este último material será destinado a bispos e líderes diocesanos de juventude.

O assessor revelou que, até o momento, foram disponibilizadas 358.170 vagas para os missionários estrangeiros nas dioceses brasileiras, especialmente na região sudeste. Comunicou também que tais missionários já terão as despesas de viagens pagas por seus países de origem.

Adiantou também que a programação da Semana Missionária, marcada para 16 a 20 de julho de 2013, prevê momentos de formação, oração, cultura e ação missionária. A proposta é de que o encerramento, com missa de envio para a JMJ, seja realizada em um santuário diocesano
.

Site, hino e logo oficial do Ano da Fé são apresentados no Vaticano

Nicole Melhado
Da Redação


Boletim da Santa Sé
Logo oficial do Ano da Fé
Nesta quinta-feira, 21, o presidente do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, Dom Rino Fisichella, apresentou, numa coletiva de imprensa no Vaticano, algumas novidades para o Ano da Fé, em especial o lançamento do site, do hino e do logo oficial.
No logo, a Igreja é representada por um barco, o mastro é uma cruz que iça as velas que formam o trigrama do nome de Cristo (IHS), e ao fundo, o sol associado ao trigrama remete à Eucaristia.
No hino, o refrão “Credo, Domine, adauge nobis é fidem” é uma invocação a Deus para que aumente a fé. Já o site oficial,www.annusfidei.va, está disponível primeiramente em inglês e italiano.

“O Ano da Fé, antes de tudo, pretende sustentar a fé de tantos crentes que no cansaço cotidiano não cessam de confiar, com convicção e coragem, a própria existência ao Senhor Jesus”, salientou Dom Rino.

Acesse
.: NA ÍNTEGRA: Intervenção de Dom Fisichella sobre o Ano da Fé


Para o presidente do dicastério, a proposta deste Ano, se encaixa num contexto amplo, marcado por uma crise generalizada que afeta também a fé.

“A crise de fé é expressão dramática de uma crise antropológica que deixou o homem a si mesmo; por isso se encontra hoje confuso, sozinho, à mercê de forças que nem sequer conhecem o rosto, e sem uma meta a qual direcionar sua existência”, disse. 

Assim, o Ano da Fé pretende ser um percurso que a comunidade cristã oferece a tantos que vivem com saudade de Deus e com o desejo de encontrá-Lo de novo.  Dom Rino salienta que é necessário, portanto, que os fiéis sintam a responsabilidade de oferecer a companhia da fé e se tornem próximos àqueles que perguntam a razão da nossa crença.

Nos primeiros dias de setembro será publicado, nos diversos idiomas, o Subsídio Pastoral “Viver o Ano da Fé” e uma pequena réplica da figura de Cristo, que se encontra na Catedral de Cefalù, na Sicília, Itália, será entregue a peregrinos e fiéis em várias partes do mundo.

“No verso, está escrito Profissão de Fé. Um dos objetivos do Ano da Fé, de fato, é fazer do Credo a oração cotidiana aprendida de cor, como era costume nos primeiros séculos do cristianismo”, conta Dom Rino.


Grandes eventos

A solene abertura do Ano da Fé será na Praça São Pedro, no dia 11 de outubro, com a presença de todos os Padres Sinodais, dos Presidentes das Conferências Episcopais do mundo e dos Padres conciliadores ainda vivos que puderem ir.

No dia 21 de outubro serão canonizados seis mártires e confessores da fé. “Vamos, portanto, refletir e rezar para que estes testemunhos de heroísmo sejam colocados na Igreja como exemplos de fé vivida”, ressalta o arcebispo.

Já no dia 2 de fevereiro, haverá uma celebração dedicada aos consagrados e no dia 24 de março, Domingo de Ramos, será, como sempre, dedicado aos jovens que se preparam para a Jornada Mundial da Juventude.

O domingo 28 de abril será dedicado aos Crismandos. Nesse dia, o Papa ministrará o Crisma a um pequeno grupo de jovens. E o dia 5 de maio será dedicado à celebração da fé na piedade popular.

Na festa de Corpus Christi, no domingo, 2 de junho, haverá a Solene Adoração Eucarística que acontecerá ao mesmo tempo em todo mundo.

O dia 16 de junho será dedicado a promoção da vida e defesa da dignidade humana desde o primeiro instante até seu fim natural.

No dia 7 de julho acontecerá uma celebração conclusiva da peregrinação de seminaristas, noviças e noviços, na Basílica de São Pedro.

A Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, que acontecerá de 23 a 28 de julho, será "um alegre encontro para dizer a todos a importância da fé".

O dia 29 de setembro será dedicado, em particular, aos Catequistas. O domingo 13 de outubro, por sua vez, será dedicado a Virgem Maria.

E no dia 24 de novembro, em fim, será celebrada a jornada conclusiva do Ano da Fé.


Eventos artísticos 

Neste Ano da Fé ainda não faltarão eventos artísticos, os principais serão uma Mostra de Arte e um Concerto, o primeiro acontece no Castelo de Santo Ângelo, de 7 de fevereiro a 1º de maio, e o último será na Praça São Pedro, no dia 22 de junho.

Quinta-feira, 21 de junho de 2012

Rede de Informática da Igreja no Brasil é apresentada aos bispos


CNBB


CNBB
Bispos do Conselho Permanente participam de apresentação sobre a Rede de Informática da Igreja no Brasil, RIIBRA.
Padre Clovis Andrade, assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação Social da CNBB, apresentou aos bispos do Conselho Permanente a Rede de Informática da Igreja no Brasil, RIIBRA.

O padre destacou os projetos da RIIBRA, como o Episcopo.Net, que é uma plataforma para os bispos do Brasil, da América Latina e Caribe para interação entre eles. Nesta plataforma haverá um correio eletrônico próprio, um disco virtual para armazenamento de dados e possibilidade da realização de videoconferências.

Outro grande projeto é a formação e capacitação de agentes nas dioceses, paróquias para as novas mídias.
“O grande desafio não é como usar as redes sociais, mas como estar nas redes sociais”, disse padre Clovis, citando o integrante do Pontifício Conselho para as Comunicações, padre Antônio Spadaro.

“Outro projeto que trabalhamos é sobre a Catequese e Novas Mídias, na formação de catequistas com ensino a distância, auxiliado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) e catecismo interativo, por meio dos smartphones e tablets”, divulgou o padre Clovis.

A pedido do Pontifício Conselho para as Comunicações, a Comissão para a Comunicação da CNBB está também fazendo um mapeamento de conectividade do Brasil. “Queremos identificar a presença da Igreja na Rede; integrar e fortalecer iniciativas já existentes e desenvolver projetos de inclusão digital onde estão deficitárias”, explicou o assessor da CNBB.

Guiacatólico.com

Apresentando uma nova plataforma de busca de dados estatístico da Igreja católica no Brasil, o senhor Fábio Castro, da empresa de comunicação especializada no segmento católico, PromoCat Marketing Integrado, apresentou aos bispos o “Guia Católico”.

Segundo Fábio, o Guia Católico é a proposta de unificação, informatização e comunicação de dados da Igreja Católica no Brasil, que está sendo feito pelo Centro de Estatísticas Religiosas e Investigação Social (CERIS) em conjunto com a PromoCat.

O Portal GuiaCatólico.com, segundo informações em seu site, é o maior centro de buscas sobre a presença da Igreja no Brasil. Baseado nas informações do Censo Anual da Igreja Católica – Caic-BR, sua atualização é permanente. Este novo sistema, sob responsabilidade da Promocat, permite uma integração direta entre todos os membros cadastrados. Por meio do Portal de buscas, o usuário encontra todas as informações sobre a Igreja no Brasil, tanto da estrutura jurídica (dioceses, paróquias, institutos, etc.), como também das pessoas físicas (bispos, padres, religiosas, diáconos, etc.). Há também uma rede social e outras ferramentas para a expansão da comunicação entre as células católicas.

De acordo com Fábio, o Guia Católico também atinge os leigos engajados nos movimentos e pastorais da Igreja. As atividades estatísticas do CERIS também são administradas por este sistema, além disso, são fornecidos dados para pesquisas quantitativas e qualitativas de forma mais apurada e atenta a realidade de cada um dos 17 Regional da CNBB e suas dioceses.

terça-feira, 19 de junho de 2012


CNBB escreve mensagem sobre a Conferência das Nações Unidas Rio+20

cnbb
"A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) espera que, da Rio+20, brote o compromisso de construção de um ‘modelo de desenvolvimento alternativo, integral e solidário, baseado em uma ética que inclua a responsabilidade por uma autêntica ecologia natural e humana, que se fundamenta no evangelho da justiça, da solidariedade e do destino universal dos bens e que supere a lógica utilitarista e individualista, que não submete os poderes econômicos e tecnológicos a critérios éticos’” (V Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e caribenho – Documento de Aparecida n474c).
Com essas palavras, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil emitiu hoje, 19 de junho, uma mensagem sobre a Conferência Rio+20, que acontece na cidade do Rio de Janeiro (RJ), de 13 a 22 de junho.
Segundo a CNBB, todos devem assumir, com coragem e determinação, o compromisso de rever caminhos e decisões que, ao longo da história, só têm excluído e condenado os pobres à miséria e à morte.
A Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, contribui para definir a agenda do desenvolvimento sustentável para as próximas décadas.
A proposta brasileira de sediar a Rio+20 foi aprovada pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em sua 64ª Sessão, em 2009.
O objetivo da Conferência é a renovação do compromisso político com o desenvolvimento sustentável, por meio da avaliação do progresso e das lacunas na implementação das decisões adotadas pelas principais cúpulas sobre o assunto e do tratamento de temas novos e emergentes.
Leia a mensagem abaixo:
Mensagem da CNBB sobre a Conferência Rio +20
“O Senhor Deus tomou o Homem e o colocou no jardim de Éden, para o cultivar e guardar” (Gn 2,15).
A Conferência das Nações Unidas Rio +20, sobre o desenvolvimento sustentável, acolhida pelo Brasil neste mês de junho, carrega consigo a irrenunciável responsabilidade de responder aos anseios e expectativas mundiais em relação à defesa e promoção de toda forma de vida, especialmente a humana, desde sua concepção até seu término natural.
A crise econômica, financeira e social por que passam as grandes potências da economia mundial, com graves consequências para as nações emergentes, emoldura a Rio +20. Considerada, por causa de sua profundidade e alcance, como uma crise de civilização, esta crise “interpela todos, pessoas e povos, a um profundo discernimento dos princípios e dos valores culturais e morais que estão na base da convivência social”. Entre suas múltiplas causas está “um liberalismo econômico sem regras e incontrolado” (Nota do Pontifício Conselho Justiça e Paz sobre o sistema financeiro).
É urgente repensar nossa relação com a natureza, que “nos precede, tendo-nos sido dada por Deus como ambiente de vida” e está à nossa disposição “não como um lixo espalhado ao acaso, mas como um dom do Criador” (Bento XVI – Caritas in Veritate, n. 48). Se, por um lado, como nos recorda o papa Bento XVI, é “lícito ao homem exercer um governo responsável sobre a natureza para guardá-la, fazê-la frutificar e cultivá-la, inclusive com formas novas e tecnologias avançadas, para que possa acolher e alimentar condignamente a população que a habita”, por outro, é preciso que “a comunidade internacional e os diversos governos saibam contrastar, de maneira eficaz, as modalidades de utilização do ambiente que sejam danosas para o mesmo” (Bento XVI – Caritas in Veritate, n. 50).
Os bispos da América Latina e Caribe, reunidos em Aparecida em 2007, já denunciavam: “com muita frequência se subordina a preservação da natureza ao desenvolvimento econômico, com danos à biodiversidade, com o esgotamento das reservas de água e de outros recursos naturais, com a contaminação do ar e a mudança climática” (V Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe – Documento de Aparecida n. 66).
O cuidado com a natureza e com a vida, que nela brota e dela depende, passa pelo reconhecimento de que é dever de todos, especialmente dos dirigentes das nações, garantir a estas e às futuras gerações a casa comum – o Planeta Terra – livre de toda destruição. Essa meta só se alcançará com a subordinação do desenvolvimento econômico à justiça social, no respeito à pessoa, à natureza e aos povos. Para tanto, é necessário que todos, especialmente os dirigentes mundiais, assumam com coragem e determinação, o compromisso de rever caminhos e decisões que, ao longo da história, só têm excluído e condenado os pobres à miséria e à morte. Para a erradicação da fome e da miséria, "não se trata de diminuir o número dos convidados para o banquete da vida, mas de aumentar a comida na mesa”, como já nos alertou o Papa Paulo VI (cf. Homilia de João Paulo II em Puebla, 1979).
A Cúpula dos Povos, organizada pela sociedade civil e realizada concomitantemente à Rio +20, tem a importante tarefa de reafirmar a responsabilidade dos dirigentes das nações pelas graves consequências de uma opção equivocada, ao subjugar o desenvolvimento econômico ao domínio do mercado e do lucro, desconsiderando tanto a natureza quanto a vida e a cultura dos povos.
A Igreja no Brasil, especialmente através da Campanha da Fraternidade, tem chamado constantemente a atenção para a destruição da natureza provocada por um desenvolvimento econômico predatório, alimentado por um sistema produtivo e um estilo de vida consumista, muitas vezes, também predatórios. As consequências são, dentre outras, o desmatamento, a contaminação e escassez da água e as mudanças climáticas. Os que mais sofrem os impactos de tudo isso são os pobres e excluídos.
É imperioso que nos eduquemos para relações novas e éticas com o meio ambiente. Esta é uma meta imprescindível da Rio +20, que não deve desviar-se de sua real e concreta finalidade.
A Rio +20 indica uma resposta a essas questões com a chamada Economia verde. Se esta, em alguma medida, significa a privatização e a mercantilização dos bens naturais, como a água, os solos, o ar, as energias e a biodiversidade, então ela é eticamente inaceitável. Não podemos nos contentar com uma roupagem nova para proteger o insaciável mercado, que só tem olhos para o lucro, configurando-se como “lobo em pele de cordeiro” ao manter inalteradas as causas estruturais da crise ambiental.
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB espera que, da Rio +20,  brote o compromisso  de construção de um “modelo de desenvolvimento alternativo, integral e solidário, baseado em uma ética que inclua a responsabilidade por uma autêntica ecologia natural e humana, que se fundamenta no evangelho da justiça, da solidariedade e do destino universal dos bens e que supere a lógica utilitarista e individualista, que não submete os poderes econômicos e tecnológicos a critérios éticos” (V Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe – Documento de Aparecida n. 474c).
Esse compromisso deve ser assumido por todos. Os cristãos, de modo especial, movidos pela solidariedade, que gera fraternidade e comunhão, são convocados a trabalhar pela preservação do meio ambiente e a colaborar na construção de uma sociedade justa, ecologicamente sustentável.
Que Deus, o Criador de todas as coisas, se digne abençoar seus filhos e filhas nesta nobre missão de “cultivar e guardar” a terra, lugar de vida para todos (cf. Gn 2,15).
Brasília, 19 de junho de 2012
Cardeal Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida
Presidente da CNBB

Dom José Belisário da Silva
Arcebispo de São Luís do Maranhão
Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário Geral da CNBB


Sacerdote peruano desenvolve site com técnicas para dirigir uma homilia
Loading

 
Roma (Segunda-feira, 18-06-2012, Gaudium PressO sacerdote peruano e oficial da Pontifícia Comissão para a América Latina, Padre José Ignacio Tola Claux, desenvolveu um site com técnicas e conselhos práticos para dirigir uma homilia ou oratória sagrada. O "Arte de predicar" ("Arte de pregar", em espanhol) já está funcionando e seu endereço é: artedepredicar.com.
c9b002fe1bb0320831a8ae78670fdb6f_XL.jpg
São João Crisóstomo é um dos pregadores cuja biografia foi contemplada no site
O sacerdote conta que a ideia de criar está página web veio de sua própria necessidade de aprender, "ao me dar conta, de maneira clara, que a homilética é uma arte que requer preparação e disciplina", disse.
Padre José Ignácio lamenta também que a oratória sacerdotal tenha perdido importância na etapa formativa. "Hoje em dia, apesar do desenvolvimento existente no mundo das comunicações, os sacerdotes não se formam para 'saber comunicar" e é algo que muitas vezes se aprende no decorrer dos acontecimentos, com resultados escassos", disse.
A página é voltada especialmente para sacerdotes e seminaristas, mas também pode ser aproveitada por todos os interessados em aprender a dirigir uma mensagem pública "com convicção, eficácia e formas e linguagens adequadas aos ouvintes, já que muitas das recomendações que se aplicam podem ser empregada em qualquer outro campo da comunicação", afirma Padre José Ignácio.
O site conta com diversas seções, entre as quais uma dedicada a pregadores como Frei Antonio de Montesinos e São João Crisóstosmo, outra à carta redigida pelo Papa Bento XVI. Há espaço também para sermões, homilias, artigos, um link de áudio e video e um Anedotário.(BD/JS)
Com informações da EWTN notícias

Conselho Episcopal Pastoral debate a Campanha da Fraternidade


CNBB


CNBB
Bispos reunidos durante reunião do Consep na tarde desta terça-feira, 19
Na reunião do Conselho Episcopal Pastoral (Consep), a Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), os bispos presidentes das Comissões Episcopais Pastorais, juntamente com o setor responsável por toda elaboração das Campanhas da Fraternidade avaliaram a Campanha da Fraternidade 2012. O secretário executivo da CF, padre Luiz Carlos Dias, fez um balanço da avaliação que é feita pelos 17 Regionais, paróquias e comunidades que vivenciam a Campanha em todas as suas dimensões.

Além disso, os bispos avaliaram os cartazes, produzidos e enviados pela comunidade, para a Campanha da Fraternidade de 2013, que tratará da temática Fraternidade e Juventude. Assim que escolhido, o cartaz será divulgado no site da CNBB.

O assessor de Música Litúrgica da CNBB, padre José Carlos Sala, apresentou aos bispos o hino da CF 2013. Os compositores são: letra é de Gerson Cesar Souza e a música é de Gil Ferreira e Daniel Victor Santos. “Estou aqui, meu senhor, sou jovem, sou teu povo!”, diz um trecho do refrão do hino.

O padre Luiz Carlos apresentou, no período da tarde, a primeira versão do Texto Base da Campanha da Fraternidade de 2013. Segundo o objetivo geral do documento, o primordial será “acolher as juventudes, com suas alegrias e esperanças, tristezas e angústias, em meio às profundas mudanças do nosso tempo, propiciando caminhos para o seu protagonismo no segmento de Jesus Cristo e na construção de uma sociedade fundamentada na cultura da vida, da justiça e da paz”.

sábado, 16 de junho de 2012

Catedral no Encontro de Liturgia e Canto Pastoral

video

Catedral de Campina Grande recebe da Câmara de Vereadores, Moção de Congratulação pela Campanha do Agasalho 2012



A Catedral Diocesana de Nossa Senhora da Conceição recebeu, pelo terceiro ano consecutivo, da Câmara Municipal de Vereadores, Moção de Congratulações pela realização da Campanha do Agasalho, décima ação do Projeto Solidariedade e Partilha. Projeto social, em funcionamento, na paróquia, desde o ano de 2008. A Moção, em 2012, foi de autoria do Vereador João Dantas, subscrito pelos Edis Antonio Alves Pimentel, Cassiano Pereira e Ivonete Ludgério.
Confira na íntegra a Moção de Congratulação enviada à Catedral na pessoa do seu pároco, o Pe. Márcio Henrique Mendes Fernandes.
ESTADO DA PARAÍBA CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPINA GRANDE
(Casa de Féíix Araújo)
Revmo. Senhor
MÁRCIO HENRIQUE MENDES FERNANDES
Administrador Diocesano da Diocese de Campina Grande
Av. Floriano Peixoto, S/N, Centro
58400-180 - Campina Grande - PB

Ofício nº 1.985 - DRE - SMV
09 de maio de 2012

Reverendíssimo Senhor,

Honrados, nos dirigimos a V. Revma., a fim de comunicar-lhe que esta Câmara, atendendo ao Requerimento nº 407/2.012 de autoria do Vereador João Dantas, subscrito pelos Edis Antonio Alves Pimentel, Cassiano Pereira e Ivonete Ludgério, aprovado por unanimidade, fez constar na Ata de nossos trabalhos legislativos, uma MOÇÃO DE CONGRATULAÇÕES, a Catedral Nossa Senhora da Conceição, pela realização da Campanha do Agasalho 2012.
Considerando que com o tema "Aquece Campina 2012" foi lançada a Campanha do Agasalho, na sua 3ª edição, na Catedral Diocesana de Campina Grande.
Considerando que essa campanha é a décima ação do projeto Solidariedade e Partilha, e tem o objetivo de arrecadar lençóis, cobertores e casacos (novos e usados em bom estado de reutilização), para as famílias carentes da cidade que passam a necessitar ainda mais da ajuda do próximo, nesta época do ano em que as chuvas caem com mais frequência.
Salientando que a campanha que teve início no dia 05 de maio e vai até o dia 05 de junho, do ano em curso, está recebendo os donativos na Catedral e nos pontos de coleta.

Cordialmente,

Nelson Gomes Filho - Presidente

Tovar Correia Lima - 1º Secretário
Fonte: Coordenação Geral do Projeto Solidariedade e Partilha
Pe. Márcio Henrique Mendes Fernandes
Professora Aurea Ramos Araujo
http://www.catedralcg.org.br