sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Papa convida Europa a refletir sobre tarefa perene de evangelização


Saint Gallen (RV) - Teve início nesta quinta-feira, em Saint Gallen, na Suíça, a assembleia do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE).

"Os desafios de nosso tempo: aspectos sociais e espirituais" é o tema desse evento que prossegue até dia 30 e reúne os presidentes desse organismo.

"A memória de Saint Gallen e sua obra, na véspera do Sínodo dos Bispos sobre a Nova Evangelização, será um estímulo para olhar com fé e esperança para a messe que são os povos da Europa na esteira do Concílio Vaticano II e dos ensinamentos dos Papas que o implementaram", sublinha Bento XVI na mensagem enviada ao Presidente do CCEE, Cardeal Péter Erdő.

O Santo Padre convida a "retomar a lição magistral do Servo de Deus Paulo VI na Exortação Apostólica Evangelii nuntiandi e a entrega do Beato João Paulo II na Carta Apostólica Novo millennio ineunte, à luz do Magistério e na perspectiva do próximo Ano da Fé".

Na mensagem o Papa convida a Igreja na Europa a refletir sobre a tarefa perene de evangelização e a urgência de sua renovação.

A plenária do CCEE se realiza em Saint Gallen, sede do secretariado desse organismo desde 1978, para comemorar os 1.400 anos da chegada do santo a esse cantão. (MJ)


Rádio Vaticano

Bento XVI reafirma a dignidade do esporte: O atleta é muito mais do que um simples competidor

Castel Gandolfo (RV) – O 32º Congresso Mundial de Medicina do Esporte, em andamento em Roma, foi a oportunidade para Bento XVI reafirmar o valor do esporte. O Papa recebeu os participantes do Congresso em audiência esta quinta-feira, em Castel Gandolfo.

Para o Pontífice, a presença no Congresso de profissionais de 117 países dos cinco continentes demonstra a importância do desporto em todas as culturas, regiões e circunstâncias, por sua capacidade de unir as pessoas com a finalidade comum de competir de modo pacifico. “As recentes Olimpíadas e Paraolimpíadas de Londres são exemplo disso”, afirmou.

O esporte é muito mais que uma simples competição, assim como cada atleta é muito mais do que um simples competidor: eles são dotados de uma capacidade moral e espiritual que deve ser enriquecida e aprofundada pela prática do esporte e da medicina esportiva.

Porém, notou o Papa, às vezes o sucesso, a fama, as medalhas e a busca de dinheiro tornam-se a motivação principal, ou mesmo única, para os envolvidos. Isso acontece quando vencer a todo custo substitui o verdadeiro espírito do esporte, levando a abusos inclusive da medicina moderna.

Os médicos têm consciência dessa tentação, disse Bento XVI, e este é justamente um dos temas deste Congresso.

A dignidade está em primeiro lugar, recordou por fim o Pontífice. “Antes de se alcançar a perfeição física, deve se trabalhar para alcançar a perfeição espiritual e moral. Deste modo, os médicos não serão somente agentes do cuidado do corpo, mas também da regeneração moral, espiritual e cultural.”
(BF)


Rádio Vaticano

quarta-feira, 26 de setembro de 2012


Quarta-feira, 26 de setembro de 2012

A liturgia é uma fonte preciosa para crescer na oração, diz Papa


Canção Nova Notícias


Arquivo
Onde o olhar sobre Deus não é determinante, todas as outras coisas perdem a sua orientação, disse o Papa aos fiéis durante a catequese
Nesta quarta-feira, 26, o Papa Bento XVI deu continuidade ao ciclo de catequeses sobre a oração. Reunido com os fiéis na Praça São Pedro, no Vaticano, o Papa recordou que a primeira escola para a oração, como visto ao longo dessas semanas, é a Palavra de Deus. Ele acrescentou que há uma outra fonte preciosa para crescer na oração: a liturgia.

“Há agora um outro precioso ‘espaço’, uma outra preciosa ‘fonte’ para crescer na oração, uma fonte de água viva em estreitíssima relação com a anterior. Refiro-me à liturgia, que é um âmbito privilegiado no qual Deus fala a todos nós, aqui e agora, e atende a nossa resposta”.

Recorrendo ao que diz o Catecismo da Igreja Católica, o Papa lembrou ainda que, na tradição cristã, a palavra “liturgia” significa que o Povo de Deus participa da obra de Deus, “porque o povo de Deus como tal existe somente por obra de Deus”.

O próprio Concílio Vaticano II iniciou seus trabalhos com a discussão sobre a sagrada liturgia. Com isso, o Papa disse que o Concílio trouxe de modo muito claro o primado de Deus, a sua prioridade absoluta.

“Onde o olhar sobre Deus não é determinante, todas as outras coisas perdem a sua orientação. O critério fundamental para a liturgia é a sua orientação para Deus, para poder assim participar da sua obra”.

Sobre a possível pergunta acerca de qual seria esta obra da qual somos chamados a participar, Bento XVI explicou que a resposta da Constituição conciliar sobre a sagrada liturgia é aparentemente dupla: uma diz que a obra de Deus são as suas ações históricas, que levam à salvação, culminada na Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. A outra resposta define a própria celebração da liturgia como “obra de Cristo”.

“Na verdade, esses dois significados são inseparavelmente ligados. Se nos perguntamos quem salva o mundo e o homem, a única resposta é: Jesus de Nazaré, Senhor e Cristo, crucificado e ressuscitado”.

Por fim, o Papa enfatizou que só vivemos e celebramos bem a liturgia se permanecemos em atitude de oração. Ele finalizou exortando os fiéis a rezarem para que sejam cada vez mais conscientes de que a Liturgia é ação de Deus e do homem.

“ Rezemos ao Senhor para sermos cada dia mais conscientes, de fato, de que a Liturgia é ação de Deus e do homem; oração que vem do Espírito Santo e de nós mesmos, inteiramente voltada ao Pai, em união com o Filho de Deus feito homem (cfr Catecismo da Igreja Católica, n. 2564)”. 

CNBB apresenta mensagem sobre as Eleições Municipais e lança Campanha Missionária 2012

QUA, 26 DE SETEMBRO DE 2012 08:49POR: CNBB
coletivaagosto2012Na próxima quinta-feira, 27 de setembro, após a conclusão da reunião ordinária do Conselho Episcopal Pastoral, o Consep, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a presidência da entidade fará a apresentação de uma mensagem sobre as eleições municipais. Na ocasião será realizada uma entrevista coletiva, no auditório dom Hélder Câmara, na sede da entidade em Brasília (DF), às 14h30.
Durante a reunião do Consep, que teve início na terça-feira (25), os bispos acompanharam a apresentação da análise da conjuntura política e social do momento atual vivido pelo Brasil, com destaque para o processo da campanha eleitoral. Neste tema, a CNBB tem desenvolvido a campanha “Voto Consciente”, que incentiva a reflexão e o debate sobre a valorização da escolha dos candidatos que respeitem a inspiração e as exigências da lei da Ficha Limpa.
Também durante a entrevista coletiva será realizado o lançamento da Campanha Missionária 2012, organizada pelas Pontifícias Obras Missionárias. O tema desta edição será “Brasil missionário partilha a tua fé”, e busca despertar a atenção dos cristãos para o seu compromisso com a missão universal da Igreja.
Participam da coletiva o presidente da CNBB, Cardeal Raymundo Damasceno Assis; o vice-presidente da CNBB, dom José Belisário da Silva; o secretário-geral da Conferência, dom Leonardo Ulrich Steiner. Também participam da entrevista o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária, dom Sérgio Braschi; e o presidente das Pontifícias Obras Missionárias, padre Camilo Pauletti.

Bispos aprovam novo cronograma de preparação da CF

QUA, 26 DE SETEMBRO DE 2012 
POR: CNBB
Consep_Setembro_2012_4Os membros do Conselho Episcopal de Pastoral, Consep, reunidos na tarde desta quarta-feira, 26 de setembro, discutiram o processo de elaboração dos subsídios da Campanha da Fraternidade (CF), realizada pela CNBB anualmente, no período da quaresma.
O assessor da CF, padre Luiz Carlos Dias, apresentou uma proposta de cronograma. Com duração de 1 ano e meio, a proposta deverá promover uma melhor colaboração dos Regionais, assessores e pastorais e organismos afins com o tema de cada edição. Desta forma, todos os subsídios já poderão ser apresentados no mês de julho do ano anterior da Campanha.
A proposta foi aprovada pelos bispos. Em relação à escolha do hino e do cartaz, serão realizados dois concursos simultâneos, com a colaboração de comissões julgadoras específicas, mas com a decisão final do Consep. Pelo novo cronograma, os interessados em participar destes concursos receberão mais subsídios para poder a elaboração das propostas de música e cartaz.

sábado, 22 de setembro de 2012


Presidente do Conselho Nacional do Laicato do Brasil reflete sobre a importância do voto e participação cidadã nas eleições

POR: CNBB

laudelinocnlbA Igreja no Brasil, por meio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), sempre se faz presente nas campanhas eleitorais com princípios, critérios e orientações aos eleitores. O Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB) é um desses organismos que participa de movimentos, atividades e manifestações, que contribuem com reflexões, neste momento pré-eleitoral, voltadas à defesa e promoção da vida humana e do planeta. O presidente do conselho, Laudelino Augusto dos Santos Azevedo, aborda a atuação da CNLB no cenário político e chama a atenção para a importância do voto.
“O voto, desde que seja livre e consciente, é uma ferramenta fundamental para a transformação da sociedade. A escolha, não só das pessoas, mas dos programas de governos a serem implementados, passam pelo voto”, explicou Laudelino Augusto, que além de presidente do CNLB, é vice-prefeito de Itajubá (MG), faz parte da rede de assessores do Centro Nacional de Fé e Política Dom Hélder Câmara (CEFEP) e é assessor de Formação para a Missão.
A CNLB contribuiu para a efetivação da campanha ‘Voto Consciente’, lançada no dia 06 de setembro, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília (DF). “Em maio, realizamos um simpósio com o tema: ‘Fé e Política na América Latina, hoje’. Os Regionais, dioceses e entidades filiadas realizam cursos de Fé e Política, curso de capacitação para candidatos, debates, e contribuem na divulgação e aplicação da campanha ‘Voto Consciente’, somando-se campanha Voto Limpo do TSE”, elucidou.
O presidente lista uma série de características que um bom candidato ou candidata deve possuir para contribuir com uma sociedade justa, fraterna e solidária. “Um bom candidato é o que foi escolhido e indicado pela comunidade. Defende a vida em todos os seus estágios, promove os direitos humanos, e entende que deve exercer o poder como um serviço. Esse candidato deve atuar com a sociedade organizada, ser fiel às audiências públicas, ter a ficha limpa e ser um político por vocação”, disse. “Vejam a importância do voto!”, enfatizou.
Laudelino ainda afirma que a atuação política se dá em três níveis: pelo voto consciente e responsável; pela militância nos partidos, conselhos de políticas públicas e demais instâncias de ação; e sendo candidato e assumindo cargos públicos no serviço à coletividade. Para ele, “ninguém está dispensado e todos estão necessariamente comprometidos com a questão política”. “Os Documentos da Igreja usam termos como: ‘não se pode absolutamente abdicar ...’, ‘têm uma missão irrenunciável ...’, ‘não recusem cargos públicos ...’ (Cf CFL 42; CNBB 26, 300; A.A.14)’, citou.
Sobre a participação cidadã nos processos políticos, o presidente, defende que, esta, atue antes, durante, e após as eleições. “As eleições, por mais importantes que sejam, são apenas um evento dentro do processo democrático. É importante criar grupos de acompanhamento ao Legislativo e ao Executivo, participação nos conselhos, nas audiências públicas, especialmente no Orçamento Participativo, estar em dia com as obrigações de cidadania, denunciar os desvios de conduta, enfim, ser um cidadão pleno como convém aos cristãos.”
O Conselho Nacional do Laicato do Brasil
Como Organismo de Comunhão, o CNLB, como a própria CNBB, assume a política no sentido geral, incentivando aos cristãos leigos e leigas à atuação política no sentido estrito de política partidária, "campo próprio dos leigos". O CNLB tem uma Comissão Permanente de Fé e Política que cuida da formação e espiritualidade neste "vasto e complicado mundo" (EN 70). Como "membros da Igreja a todo título" (Pio XII), tudo o que diz respeito à vida e à missão da Igreja, diz respeito aos cristãos leigos e leigas.
O CNLB, por meio das Comissões Permanentes de Formação, Assessoria, Fé e Política, Juventude, Comunicação, tem contribuindo nesta conquista. Neste ano, juntamente com a Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP) e o Centro Nacional de Fé e Política “Dom Helder Câmara” (CEFEP), organizou e publicou a Cartilha ‘Eleições Municipais 2012: Cidadania para a Democracia’.
O CNLB ainda proporciona formação e incentiva os cristãos à participarem ativamente dos Conselhos de Políticas Públicas para ajudarem na conquista dos direitos da cidadania. “Buscamos propostas e leis coerentes e eficazes para o resgate das dívidas sociais; vida, alimentação, saúde, educação, trabalho, terra, segurança, meio ambiente saudável, lazer, transporte. Defendemos o Orçamento Participativo e a definição de políticas públicas através dos Conselhos”, explica o presidente do organismo.

Comunidade de São Pio X realizará evento especialmente para as mulheres

A Comunidade de São Pio X estará realizando mais um evento, é o ‘Cenáculo para Mulheres’, encontro específico para a mulher. É algo semelhante ao que a própria palavra Cenáculo nos leva a compreender: lugar onde Nossa Senhora e os Apóstolos estavam reunidos em oração a espera do Paráclito.
Com o tema, ‘É na fraqueza que se revela totalmente a minha força’ (2 Cor. 12 9), o encontro, contará com as presenças de personalidades que vivenciaram e venceram grandes tribulações. Elas: Marleide Fernandes, Valentina Izabel, Joseni Santos, Euda Braga, Nelci Agra (Comunidade de São Pio X) e Joselma Medeiros (Comunidade Remidos no Senhor), estarão pregando e ministrando momentos de oração por cura e libertação. Ainda assim, contaremos com a participação especial do Pe. Cledson de Almeida, CRL da Paróquia Santíssimo Salvador.
As Inscrições estão abertas, na loja da Comunidade de São Pio X, vizinho a Capela de São Pio X, onde acontecerá o Cenáculo no dia  22 de setembro (Das 14 às 20 horas) e 23 de setembro (8 às 12 horas).
Danielly Frazão, fvc

Os principais compromissos de Bento XVI no mês de outubro: Sínodo, Ano da Fé e canonizações

POR: RÁDIO VATICANO

papabentoxvicnbbO Sínodo sobre a Nova Evangelização, a abertura do Ano da Fé e a canonização de sete Beatos: são esses os principais compromissos de Bento XVI para o mês de outubro.
O mestre das Celebrações Litúrgicas Pontifícias, Mons. Guido Marini, publicou nesta sexta-feira, detalhadamente, as próximas datas da agenda papal até o início de novembro.
A celebração do Sínodo e, antes dele, a oração de consagração a fim de que o Sínodo seja um momento de graça e de luz para a Igreja.
O mês de outubro começará para o Papa com duas etapas próximas uma da outra.
Três dias antes de presidir à missa de abertura do encontro sobre a Nova Evangelização, programada para as 9h30 de domingo, dia 7, a ser celebrada na Basílica de São Pedro, Bento XVI irá a Loreto – região italiana das Marcas – ajoelhar-se aos pés da Virgem da Santa Casa e confiar a ela – como fez, cinqüenta anos atrás, o Papa João XXIII na vigília do Concílio – o bom êxito da reunião sinodal.
A missa inaugural de 7 de outubro será também ocasião para o Pontífice proclamar Santa Ildegarda de Bingen e São João d'Avila "Doutores da Igreja".
O dia 11 de setembro será outra data-evento do mês: durante a liturgia eucarística, que terá início às 10h locais na Basílica vaticana, Bento XVI abrirá o Ano da Fé.
Também o domingo, 21 de outubro, será um dia especial. Em pleno Sínodo sobre a Nova Evangelização, o Papa doará à veneração universal da Igreja sete testemunhas da fé de épocas diferentes.
A missa, presidida a partir das 9h30 locais, terá a canonização dos Beatos Giacomo Berthieu, Pedro Calungsod, Giovanni Battista Piamarta, Maria do Monte Carmelo Sallés y Barangueras, Marianna Cope, Anna Schäffer e Caterina Tekakwitha, a primeira Santa de origem pele-vermelha (designação comum aos povos aborígines dos EUA, ndr).
No domingo sucessivo, 28 de outubro, o Santo Padre presidirá à missa de conclusão do Sínodo. No início de novembro terá, como em todos os anos, dois momentos de intenso recolhimento espiritual: no dia 2, às 18h locais, descerá à Cripta vaticana para rezar diante do túmulo dos Pontífices defuntos, e no dia seguinte, às 11h30, celebrará, na Basílica de São Pedro, a missa em sufrágio pelos bispos, arcebispos e cardeais falecidos nos últimos doze meses.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012


Quarta-feira, 19 de setembro de 2012

TST decide: 40% dos funcionários dos Correios terão de trabalhar


Canção Nova Notícias


O Tribunal Superior do Trabalho (TST) estipulou nesta quarta-feira, 19, que 40% dos funcionários em cada agência dos Correios devem manter as atividades durante a greve da categoria. Caso a determinação não seja cumprida, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect) será multada em R$ 50 mil por dia.

A decisão será publicada no Diário Oficial da Justiça desta quinta-feira, 20. A federação manifestou insatisfação em relação à decisão da ministra Maria Cristina Peduzzi, que conduziu a audiência de conciliação hoje entre as partes, que acabou sem acordo. Segundo Maria Cristina, foi considerada a proximidade do período eleitoral e a necessidade de manutenção dos serviços.

De acordo com a Fentect, cerca de 84% dos funcionários aderiram à paralisação, o equivalente a 117 mil dos 120 mil empregados. Segundo os Correios, apenas 9% dos trabalhadores aderiram. Dos 35 sindicatos filiados à federação, 25 estão parados. Com a decisão do TST, devem trabalhar, no mínimo, 48 mil funcionários.
 
Na audiência de conciliação, a ministra Cristina Peduzzi propôs reajuste salarial de 5,2%, aumento linear de R$ 80, pagamento de bonificação no final de ano em parcela única de R$ 575 e a negociação conjunta das demais questões reivindicadas pelos trabalhadores.
A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) rejeitou o aumento linear de R$ 80, argumentando impacto de cerca de R$ 950 milhões.
A Fentect reclama que a empresa não repassa os lucros aos trabalhadores e pedem reajuste de 43% (33% de reposição e 10% de aumento), aumento linear de R$ 200, benefícios, esclarecimentos sobre possíveis mudanças no plano de saúde empresarial, pagamento de bonificação no final de ano e melhorias das condições de trabalho. Funcionários relataram à Agência Brasil que em muitos locais faltam protetor solar, bicicletas, uniformes, cadeiras e carimbos. Atualmente, a base salarial dos trabalhadores dos Correios é aproximadamente R$ 943.
As partes (funcionários e direção da empresa) têm até o meio-dia da próxima segunda (24) para se manifestarem sobre o andamento das negociações. Caso não haja retorno, o dissídio será encaminhado à ministra do TST, Kátia Arruda.

Como devo conduzir o Ano da Fé na minha vida?

Jéssica Marçal
Da Redação

Canção Nova Notícias


Arquivo
'Cada fiel deve viver, portanto, o Ano da Fé como uma oportunidade de renovação da graça', destacou padre Wagner
Viver, celebrar, aprofundar a fé católica. Esse é o chamado que faz o Papa Bento XVI a todos os fiéis para o Ano da Fé, que se inicia em 11 de outubro próximo e termina em 24 de novembro de 2013.

Tendo em vista a proposta de amadurecimento da fé católica e o chamado à conversão ao Senhor, o padre Wagner Ferreira, da Comunidade Canção Nova, acredita que os fiéis devem viver o Ano da Fé com o coração aberto para uma nova experiência do Senhor Jesus, que é o Salvador da humanidade e dá sentido à existência humana. 

“Cada fiel deve viver, portanto, o Ano da Fé como uma oportunidade de renovação da graça para poder proclamar com alegria que, em Jesus Cristo, toda e qualquer pessoa humana encontra a sua dignidade, a sua verdadeira liberdade”.

Mas os fiéis não estão sozinhos nessa tarefa. A Congregação para a Doutrina da Fé lançou uma nota com indicações pastorais para se viver bem o Ano da Fé. De acordo com padre Wagner, tais indicações devem ser traduzidas de forma concreta na realidade de cada comunidade cristã, em suas dioceses e paróquias.

A nota propõe, por exemplo, a realização de congressos e simpósios em torno dos textos do Concílio Vaticano II e temas presentes no Catecismo da Igreja Católica. Também há indicações para as conferências episcopais, dioceses, paróquias, comunidades, associações e movimentos. 

“É importante, portanto, que cada fiel esteja atento àquilo que a diocese, a própria conferência episcopal, a sua comunidade, paróquia, movimento ou associação da qual a pessoa venha a participar vai promover em relação ao Ano da Fé”.

O padre lembrou ainda que a fé é um dom de Deus, é Deus quem suscita o ato de crer, mas ressaltou que a nossa existência deve ser um peregrinar na fé. 

Ele citou o exemplo, presente na constituição dogmática Lumen gentium, do Concílio Vaticano II, da Bem Aventurada Virgem Maria. Uma das questões abordadas no documento é o fato dela ter realizado a sua peregrinação na fé.

“Todos nós, a exemplo de Maria, somos peregrinos da fé e, portanto, devemos fazer progressos na fé. Que se cultive a nossa comunhão com o Senhor para que aumente em nós a fé de modo que possamos ser, de fato, discípulos de Jesus e seus missionários”. 

Profissão de fé da Igreja: o Credo

Como uma das formas de se aprofundar na fé, o padre destacou o pedido do Papa para que os fiéis rezem a oração do Credo, que é a profissão de fé da Igreja.

“Toda a comunidade cristã, todo fiel deve rezar, pelo menos diariamente, o Creio e, a partir dele, aprofundar, porque o Creio nos traz os artigos da fé, aquilo em que a Igreja crê, que nos faz viver mais intensamente este amor profundo ao nosso Senhor Jesus Cristo”. 

Ele destacou que as paróquias, comunidades e movimentos vão promover diversos momentos de reflexão, estudo e aprofundamento em torno do Credo para que as pessoas tenham mais consciência a respeito da sua fé.

“A fé não é somente afetiva e emocional, ela é também racional. Eu creio como pessoa humana, eu não sou esgotado em afeto, em sentimento, em uma dimensão emocional. Eu sou, sobretudo, dotado de razão. Portanto, eu devo dar razões àquilo em que eu creio para que eu possa crer mais, de forma mais clara. Daí a importância de nós conhecermos e estudarmos a doutrina da Igreja”. 

Após o Ano da Fé, o trabalho termina?

O padre destacou que o Ano da Fé é um marco, mas é um ponto de chegada de uma caminhada que a Igreja vem fazendo. Ele acredita que, sendo um marco, o Ano da Fé vai contribuir para que haja uma continuidade após o Ano, para que a Igreja possa viver com mais esperança e alegria a sua fé. 

Ele lembrou que as orientações para a vivência do Ano da Fé insistem na questão do estudo, para que comunidades e paróquias promovam momentos de reflexão com o povo de Deus. Ele citou, por exemplo, que há muita atenção para a catequese das crianças e que é necessario também atentar para a catequese dos adultos. 

“É preciso ter uma atenção à catequese dos adultos, porque às vezes eles receberam a catequese lá na infância e, depois, com o decorrer da vida, tem algumas coisas que precisam ser atualizadas para que a pessoa possa viver melhor a sua fé”. 

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Seminário de Saúde




Campina Grande acolhe novo Bispo.


Campina Grande acolhe com alegria seu 7º Bispo Diocesano, Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, OMFCap. 29 de Setembro | 16h | Praça da Bandeira. 

Chegada da Imagem de Nossa Senhora da Conceição à Catedral de Campina Grande



No último sábado, 8 de setembro, a Catedral de Nossa Senhora da Conceição viveu momentos de muitas orações com a visita de Nossa Senhora Aparecida e devoção de muitos fiéis.

A chegada da imagem que aconteceu às 19h30, foi acolhida pelo Pe. Adeildo Ferreira, Terço dos Homens e fiéis presentes. 

A Celebração Eucarística foi presidida por Pe. Adeildo, acompanhado da equipe de liturgia da Catedral.

Na homilia, após a proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos, o presbítero nos fez estes esclarecimentos:

- a missa não deve ser um passatempo ou uma obrigação.
- Ao vir para a missa precisamos já no caminho esvaziar os nossos corações para podermos nos abastecer durante a missa.
- Estamos no mês consagrado a sagrada escritura.
- A palavra de Deus é alimento da nossa fé.
- precisamos pensar no lugar onde colocamos a palavra de Deus em nossas vidas, devemos lembrar da importância da mesma, e de que ela é comunicação direta de Deus conosco.
- Na missa boa parte da mesma é a "liturgia da palavra" e o que é lido dela é Proclamado.
- Devemos criar ânimo e não nos deixar vencer pelos nossos medos. O cristão deve evitar fazer julgamentos,  precisamos nos abrir mais, seja através de sorrisos como também nos abrirmos ao perdão.

Na celebração também foi homenageado o Treze Futebol Clube pelo aniversário de 87 anos.

A missa foi concluída com um bonito e comovente momento de consagração à Nossa Senhora.


Fotos e informações
Cleber Filho (PascomCatedral)

Texto
Aurea Ramos Araujo
Coord. PascomCatedral

domingo, 9 de setembro de 2012

Catedral de Grande realiza seminário de saúde



Com o tema “SAÚDE: DIREITO DE TODOS E DEVER DO ESTADO”, a Catedral Diocesana de Nossa Senhora da Conceição, através do Projeto Solidariedade e Partilha, realizará um seminário no dia 12 de setembro, às 19h, no Centro Pastoral Paroquial.

É oportuno ressaltar que o tema desse evento foi inspirado no lema da Campanha da Fraternidade desse ano de 2012: “Que a saúde se difunda sobre a terra” (cf. Eclo. 38, 8) e objetiva discutir caminhos para potencializar a reflexão sobre a saúde pública, proposta pela campanha.
Para desenvolver o tema, a convidada é Ana Fábia da Mota Rocha, Médica, Ms. em Saúde Coletiva e Professora da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).
Os diversos grupos da Catedral, das demais paróquias e as pessoas interessadas de modo geral, são todos convidados.

Mais informações: 33213140 (Secretaria) e 88575600 (Coordenação)

Pe. Márcio Henrique Mendes Fernandes
Administrador Diocesano e Pároco da Catedral
Professora Aurea Ramos Araujo
Coord. do Projeto Solidariedade e Partilha



JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE 2013



Queridos irmãos e irmãs
A Jornada Mundial da Juventude é o maior evento Católico do planeta e no próximo ano acontecerá no Rio de Janeiro!
A juventude se encontra com o Santo Padre para ser confirmada na fé.
O tema da JMJ 2013 é: "Ide e fazei discípulos entre todas as nações." (Mt 28,19)
Nós da Catedral de Campina Grande estamos organizando um grupo de peregrinos para este evento.
A programação conta de Pré-Jornada na Comunidade Canção Nova em Cachoeira Paulista e Jornada no Rio com todas as suas atividades próprias: catequeses, Missas, Vigília com o Papa e muito mais...
Para mais informações estou à disposição por email ou telefone.
Aqueles que tiverem interesse precisam entrar em contato comigo para mais detalhes.
Esperamos fechar o grupo até início de outubro, portanto, garanta sua vaga.
Deus abençoe a todos.
Em Jesus e Maria, RODOLFO LUCENA 88334430 / 96390137



Rádio Vaticano lança aplicativo para Android

Cidade do Vaticano (RV) - A Rádio Vaticano acaba de lançar seu primeiro aplicativo para Android. Trata-se de uma novidade multimídia, pois é possível sintonizar ao vivo todos os programas da Rádio em 40 línguas, vídeos e reportagens jornalísticas, para conhecer e acompanhar os compromissos cotidianos do Papa.

O aplicativo, completamente gratuito, pode ser baixado no Google Play, no endereço: http://rv.va/android

O programa de abre com a agenda dos compromissos públicos de Bento XVI (disponível, nesta primeira versão, em italiano, inglês, francês e espanhol), constantemente atualizada sobre as transmissões ao vivo em áudio e vídeo, produzidas em colaboração com o Centro Televisivo Vaticano. Também é possível ler os textos dos discursos pronunciados pelo Papa e publicados no site www.vatican.va

Em breve, o aplicativo estará disponível para as plataformas Iphone/Ipad e Windows Phone.

(BF)


Rádio Vaticano

Dom Ladaria destaca importância do Compêndio do Catecismo

POR: CNBB

CongTeoCuritiba2012a
O Congresso Teológico sobre o Ano da Fé, promovido pela CNBB em Curitiba (PR), neste feriado prolongado, 7 a 9 de setembro, foi aberto pela conferência proferida pelo secretário da Congregação para a Doutrina da Fé do Vaticano, dom Luis Francisco Ladaria Ferrer. Ele tratou do tema “Catecismo da Igreja Católica (CIC): gênese, estrutura e perspectivas”.

O arcebispo apresentou uma panorâmica do documento, recordando que o CIC veio depois da catequese. Ele recordou a maneira como Jesus fez catequese, com o Sermão da Montanha e as parábolas. Os escritos, fruto da atuação dos discípulos, também foram uma espécie de catecismo.

Dom Ladaria apresentou um histórico dos catecismos anteriores, como o Celta (1505) e o Romano (1536), escritos inicialmente destinados aos párocos, a quem cabia a tradução do conteúdo para os fiéis. Em relação ao atual Catecismo, destacou seus quatro pilares: Credo, Decálogo, Sacramentos, Oração (Pai Nosso), e enfatizou que o texto é fruto do Concílio Vaticano II.

Ao finalizar sua apresentou, dom Ladaria recordou a importância do Compêndio do Catecismo, por sua brevidade, claridade e a integridade. “O Compêndio possibilita que as comunidades tenham conheçam as verdades reveladas e transmitidas pela Igreja”.

O segundo conferencista do dia, o frade dominicano Carlos Josapha, falou sobre a estrutura do CIC e a vida cristã, destacando as fontes de inspiração do documento: Sagrada Escritura, Liturgia e Magistério. Destacou a mística do texto. “Hoje se a Igreja não contar com uma base mística, dinâmica, ela não poderá enfrentar os desafios da humanidade”, destacou
.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012


CNBB lança, no TSE, campanha "Voto Consciente"


CNBB


CNBB
Lançamento da campanha 'Voto Consciente' no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília (DF)
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou na manhã desta quinta-feira, 06, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília (DF), a campanha “Voto Consciente”. Estiveram presentes no auditório 2 do TSE a ministra-presidente do Tribunal, Cármen Lúcia Antunes Rocha e o secretário-geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner.

Produzida em parceria com o Núcleo de Estudos Sociopolíticos (NESP) da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), a campanha Voto Consciente conta com vídeos, spots para rádios e texto com orientações para o voto consciente/cidadão e pelo voto limpo.

“Com esta iniciativa, a CNBB faz valer a tradição de sempre dar sua contribuição nas campanhas eleitorais com orientações aos seus fieis e todos os cidadãos, firmadas na ética e na cidadania à luz do Evangelho. A CNBB sempre se preocupou com o voto consciente e se preocupou também com as pessoas que estão à frente das nossas cidades, estado e municípios, para que pensem o bem comum. Então, poder participar de uma campanha como esta, junto com o TSE, é uma satisfação para a entidade. O nosso objetivo é poder ajudar a eleger, homens e mulheres, que pensem no bem da comunidade, das pessoas e, especialmente, dos mais pobres”, disse Dom Leonardo no ato de lançamento.

A ministra-presidente do TSE também destacou a importância histórica da CNBB na luta pelo voto cidadão. “Gostaria de parabenizar a CNBB, em nome do Tribunal Superior Eleitoral, pois a entidade cumpre um papel histórico no Brasil no sentido de fazer com que a cidadania seja respeitada e que ela se respeite, e para isso é preciso que sua participação seja coerente com que ela espera do outro, que cada um cumpra seu papel. Por isso me sinto muito honrada, representando o TSE, de estar junto com a CNBB nesta caminhada, que é uma caminhada por um Brasil em que cada um assuma a responsabilidade com a sua história e, principalmente, com a história que é de todos”.

Citando a Lei Complementar nº 135/2010, mais conhecida com lei da Ficha Limpa, a ministra destacou sua importância social, e não apenas a questão jurídica em si. “É muito importante que a lei da Ficha Limpa se torne efetiva do ponto de vista social, e não do ponto de vista apenas formal e jurídico. E aí, só cada cidadão pode fazer isso, ou seja, na hora que ele escolhe bem o candidato, sabe quem ele está escolhendo e porque ele está escolhendo, o cidadão se torna coresponsável pela administração da cidade”, ressaltou.

No site da CNBB há um espaço com todo o material produzido pelo NESP e que está à disposição. Acesse www.cnbb.org.br e assista aos vídeos, leia os textos e ouça os spots.

Na quarta-feira, 05, o TSE deu início à segunda fase da campanha Voto Limpo, que desde o dia 21 de agosto está sendo veiculada no rádio e na televisão. O objetivo é conscientizar o eleitor sobre a importância de sua participação nas eleições e evitar a troca de votos por vantagens indevidas.

Canção Nova Notícias

Congresso celebra 20 anos do Catecismo no Brasil e o Ano da Fé

POR: CNBB

Congresso celebra 20 anos do Catecismo no Brasil e o Ano da Fé
Com o objetivo de prestar um serviço à igreja na Brasil, três Comissões Episcopais Pastorais da Conferência nacional dos Bispos do Brasil estão organizando em conjunto um Congresso sobre os 20 anos do Catecismo da Igreja Católica e o Ano da Fé. O evento será realizado entre os dias 7 e 9 de setembro na Pontifícia Universidade católica do Paraná (PUC-PR), em Curitiba.
O congresso é uma iniciativa da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé, Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética, e Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e a Educação. O evento será assessorado por um grupo expressivo de teólogos e teólogas brasileiros.
O evento ainda contará com a presença do arcebispo secretário da Congregação para Doutrina da Fé, dom Luis Francisco Ladaria, que, junto ao Vaticano, também atua como consultor de dois importantes dicastérios: a Congregação para os Bispos e o Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos.
O secretário dará três conferências: O Catecismo da Igreja Católica história, atualidade e perspectivas; Ano da Fé: motivações, proposta e perspectiva; e fará uma última conferência final, onde fará considerações finais. Além de dom Ladaria, outros conferencistas também farão exposições sobre o Catecismo e o Ano da Fé.
As conferencias serão realizadas durante as manhãs, em um auditório da PUC-PR que funcionara como plenário do Congresso. Nas tardes dos dias 07 e 08, haverá quatro blocos temáticos, com duas conferências em cada um e, em seguida, haverá um tempo para intervenções e questionamentos.
O Ano da Fé
Por meio da carta Porta Fidei, o papa Bento XVI proclamou o Ano Da fé para o período de 11 de outubro de 2012 a 24 de novembro de 2013. Na data que marca o início do Ano da Fé, comemora-se 50 anos de abertura do Concílio Ecumênico Vaticano II e 20 anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica. Nessa ocasião estará sendo realizada a 13ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, cujo tema é: A nova evangelização para a transmissão da fé cristã.
O Ano da Fé tem por objetivo intensificar a reflexão sobre a fé, sua celebração e testemunho, aumentando a alegria de crer e o compromisso de evangelizar (cf. PF, 9). “É precisamente nesta linha que o Ano da Fé deverá exprimir um esforço generalizado em prol da redescoberta e do estudo dos conteúdos fundamentais da Fé, que têm no Catecismo da Igreja Católica a sua síntese sistemática e orgânica” (PF, 11).
catecismo_da_Igreja_Catlica_1Com o objetivo de prestar um serviço à igreja na Brasil, três Comissões Episcopais Pastorais da Conferência nacional dos Bispos do Brasil estão organizando em conjunto um Congresso sobre os 20 anos do Catecismo da Igreja Católica e o Ano da Fé. O evento será realizado entre os dias 7 e 9 de setembro na Pontifícia Universidade católica do Paraná (PUC-PR), em Curitiba.
O congresso é uma iniciativa da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé, Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética, e Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e a Educação. O evento será assessorado por um grupo expressivo de teólogos e teólogas brasileiros.
O evento ainda contará com a presença do arcebispo secretário da Congregação para Doutrina da Fé, dom Luis Francisco Ladaria, que, junto ao Vaticano, também atua como consultor de dois importantes dicastérios: a Congregação para os Bispos e o Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos.
O secretário dará três conferências: O Catecismo da Igreja Católica história, atualidade e perspectivas; Ano da Fé: motivações, proposta e perspectiva; e fará uma última conferência final, onde fará considerações finais. Além de dom Ladaria, outros conferencistas também farão exposições sobre o Catecismo e o Ano da Fé.
As conferencias serão realizadas durante as manhãs, em um auditório da PUC-PR que funcionara como plenário do Congresso. Nas tardes dos dias 07 e 08, haverá quatro blocos temáticos, com duas conferências em cada um e, em seguida, haverá um tempo para intervenções e questionamentos.
O Ano da Fé
Por meio da carta Porta Fidei, o papa Bento XVI proclamou o Ano Da fé para o período de 11 de outubro de 2012 a 24 de novembro de 2013. Na data que marca o início do Ano da Fé, comemora-se 50 anos de abertura do Concílio Ecumênico Vaticano II e 20 anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica. Nessa ocasião estará sendo realizada a 13ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, cujo tema é: A nova evangelização para a transmissão da fé cristã.
O Ano da Fé tem por objetivo intensificar a reflexão sobre a fé, sua celebração e testemunho, aumentando a alegria de crer e o compromisso de evangelizar (cf. PF, 9). “É precisamente nesta linha que o Ano da Fé deverá exprimir um esforço generalizado em prol da redescoberta e do estudo dos conteúdos fundamentais da Fé, que têm no Catecismo da Igreja Católica a sua síntese sistemática e orgânica” (PF, 11).

Situação das emergências de hospitais públicos é discutida na CNBB

POR: CNBB 

Situação das emergências de hospitais públicos é discutida na CNBB
Na tarde do dia 05 de setembro, a Comissão Brasileira de Justiça e Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promoveu um encontro para tratar da saúde pública. A reunião aconteceu na sede da Conferência, em Brasília (DF), e contou com presença de representantes do Observatório da Saúde do Distrito Federal, do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), e outras entidades que elaboraram o documento ‘Ação Conjunta de Fiscalização nos Hospitais Públicos do Distrito Federal – Emergências’ de avaliação das emergências dos hospitais públicos do Distrito Federal.
No documento é expresso que para melhorar as condições de atendimento nas emergências dos hospitais públicos, é necessário trabalhar o chamado ‘nível primário de atenção’ ou ‘atenção primária à saúde’. Este nível se caracteriza como a primeira atenção que a população recebe, e compreende-se como ações de promoção da saúde, prevenção de doenças, ou agravos em doenças pré-existentes. Sendo os responsáveis pelo atendimento deste nível os postos de saúde e Unidades Básicas de Saúde.
O médico cardiologista, membro da Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP) e coordenador do Observatório de Saúde do Distrito Federal, doutor Geniberto Paiva Campos, explica a importância do ‘nível primário de atenção’. “Uma pessoa de determinada comunidade que vai à unidade de saúde de sua região e não encontra o atendimento que necessita, como única alternativa, recorre às emergências dos hospitais públicos”, ilustrou.
A política do ‘nível de atenção primária’ é apresentada como uma estratégia voltada para responder de forma regionalizada, integrando médicos, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos e, principalmente, agentes comunitários, à população. Para o coordenador, se todos esses profissionais cuidarem de forma adequada dessa população, “as emergências passarão a ser exatamente aquilo que devem ser, emergências”.
A ideia é humanizar a relação do morador com os profissionais de saúde da comunidade. “Em uma pequena cidade, de 25 mil habitantes, vamos supor, naquela região, as pessoas da saúde passam a interagir efetivamente com a população. O morador vai saber o nome do médico que cuida da família, da enfermeira, da psicóloga, e do mais importante de todos: o agente comunitário de saúde”, exemplificou.
“Se as pessoas não tem acesso à atenção primária elas recorrem aos hospitais, sem a menor necessidade. Na realidade, essas emergências não estão atuando, obrigatoriamente como emergência, e sim como ambulatórios. A atenção primária é esse atendimento comunitário, que ‘desafogaria’ os pronto-socorros dos hospitais”, esclarece o cardiologista.
O tema central da reunião é essa questão das emergências, com o foco na questão básica. Doutor Geniberto ainda afirma que não bastam investimentos em mais equipamentos para a emergência, ou comprar mais macas hospitalares, se não houver a atenção primária. “Trabalhar com o foco nas emergências é trabalhar no efeito, não na causa. Não adianta”, enfatiza.
Para representantes das organizações presentes na reunião, a solução para os pronto-socorros hospitalares, são as ações preventivas e curativas, bem como a atenção a indivíduos, voltadas às suas comunidades.
“As pessoas estão utilizando hospitais de alta complexidade na atenção básica, esse é o ponto. Ou melhora a atenção básica, ou vamos ter sempre os pronto-socorros lotados, pessoas pelos corredores, aquela situação que costumamos ver nas notícias. A atenção primária é basicamente o que vai organizar todo o sistema”, credita o médico.
reuniao_observatorio_da_saudeNa tarde do dia 05 de setembro, a Comissão Brasileira de Justiça e Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promoveu um encontro para tratar da saúde pública. A reunião aconteceu na sede da Conferência, em Brasília (DF), e contou com presença de representantes do Observatório da Saúde do Distrito Federal, do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), e outras entidades que elaboraram o documento ‘Ação Conjunta de Fiscalização nos Hospitais Públicos do Distrito Federal – Emergências’ de avaliação das emergências dos hospitais públicos do Distrito Federal.
No documento é expresso que para melhorar as condições de atendimento nas emergências dos hospitais públicos, é necessário trabalhar o chamado ‘nível primário de atenção’ ou ‘atenção primária à saúde’. Este nível se caracteriza como a primeira atenção que a população recebe, e compreende-se como ações de promoção da saúde, prevenção de doenças, ou agravos em doenças pré-existentes. Sendo os responsáveis pelo atendimento deste nível os postos de saúde e Unidades Básicas de Saúde.
O médico cardiologista, membro da Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP) e coordenador do Observatório de Saúde do Distrito Federal, doutor Geniberto Paiva Campos, explica a importância do ‘nível primário de atenção’. “Uma pessoa de determinada comunidade que vai à unidade de saúde de sua região e não encontra o atendimento que necessita, como única alternativa, recorre às emergências dos hospitais públicos”, ilustrou.
A política do ‘nível de atenção primária’ é apresentada como uma estratégia voltada para responder de forma regionalizada, integrando médicos, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos e, principalmente, agentes comunitários, à população. Para o coordenador, se todos esses profissionais cuidarem de forma adequada dessa população, “as emergências passarão a ser exatamente aquilo que devem ser, emergências”.
A ideia é humanizar a relação do morador com os profissionais de saúde da comunidade. “Em uma pequena cidade, de 25 mil habitantes, vamos supor, naquela região, as pessoas da saúde passam a interagir efetivamente com a população. O morador vai saber o nome do médico que cuida da família, da enfermeira, da psicóloga, e do mais importante de todos: o agente comunitário de saúde”, exemplificou.
“Se as pessoas não tem acesso à atenção primária elas recorrem aos hospitais, sem a menor necessidade. Na realidade, essas emergências não estão atuando, obrigatoriamente como emergência, e sim como ambulatórios. A atenção primária é esse atendimento comunitário, que ‘desafogaria’ os pronto-socorros dos hospitais”, esclarece o cardiologista.
O tema central da reunião é essa questão das emergências, com o foco na questão básica. Doutor Geniberto ainda afirma que não bastam investimentos em mais equipamentos para a emergência, ou comprar mais macas hospitalares, se não houver a atenção primária. “Trabalhar com o foco nas emergências é trabalhar no efeito, não na causa. Não adianta”, enfatiza.
Para representantes das organizações presentes na reunião, a solução para os pronto-socorros hospitalares, são as ações preventivas e curativas, bem como a atenção a indivíduos, voltadas às suas comunidades.
“As pessoas estão utilizando hospitais de alta complexidade na atenção básica, esse é o ponto. Ou melhora a atenção básica, ou vamos ter sempre os pronto-socorros lotados, pessoas pelos corredores, aquela situação que costumamos ver nas notícias. A atenção primária é basicamente o que vai organizar todo o sistema”, credita o médico.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012


Carta do Administrador Diocesano

Caríssimos irmãos e irmãs, no último dia 3 de agosto, recebi a correspondência oficial da Nunciatura Apostólica comunicando a nomeação do nosso tão esperado Bispo Diocesano. A expressão de alegria e, ao mesmo tempo, de expectativa tomaram conta do meu coração antes de abrir o envelope. Alegria porque, no meu íntimo, imaginava já ser a nomeação do Bispo e expectativa de saber quem seria e como iria anunciar à Igreja Diocesana. Uma experiência honrosa, única e feliz que aconteceu no dia 8 de agosto de 2012, às 8h, quando me dirigi à Rádio Caturité para anunciar o nome de Dom Frei Manoel Delson Pedreira da Cruz, OFMCap
Para quem não sabe, esse comunicado do Santo Padre Bento XVI, referente à nomeação de um Bispo, é feito antecipadamente através da Nunciatura Apostólica no Brasil, ao Bispo nomeado, ao Administrador Diocesano, aos Bispos do Regional Nordeste 2 e aos Cardeais do Brasil, com a incumbência de guardar o Segredo Pontifício até que seja publicado oficialmente em Roma.

   Após o anúncio no dia indicado, cumpridos os protocolos, convidei alguns padres, colaboradores próximos, para irmos a Caicó-RN prestar nossa primeira homenagem e acolhimento em nome do Clero e de todos os diocesanos. Foi uma visita cordial, Dom Delson nos acolheu com muita presteza e, na sua simplicidade, nos transmitiu a imagem de um Pastor acolhedor, aberto ao diálogo e ao zelo pastoral, características fundamentais no exercício do múnus episcopal. E assim, agendamos para o dia 29 de setembro de 2012, às 16h, a posse canônica em nossa Diocese de Campina Grande que estará reunida para receber seu sétimo Bispo.

   A chegada de um Bispo numa Diocese é sempre um momento novo de exultação e alegria. Sabemos que sempre se renovam as esperanças e se dá continuidade aos trabalhos que vinham sendo desenvolvidos. E aqui, de modo muito oportuno, lembro como a Diocese vibrou com a chegada de outros Bispos anteriores, cito em particular Dom Jaime Vieira Rocha que teve uma inesquecível celebração de acolhida. Aliás, o seu episcopado, com o qual colaborei como seu vigário geral, foi o de um exímio pastor, solícito no amor e em ações de justiça, muito benevolente. A todos os Bispos antecessores, nossa gratidão!

   Nosso Clero, Paróquias, Religiosos e Religiosas, Agentes Pastorais e fiéis estão felizes com essa escolha e rezam para que possamos juntos ter grandes iniciativas para o bem da missão evangelizadora. Dentro em breve, estaremos reunidos na Catedral de Nossa Senhora da Conceição com a presença do nosso novo Pastor, que de “todo coração” vem ao encontro desta Igreja Particular. A Dom Delson, agradecemos profundamente pelo sim dado à esta missão apostólica.

   Bendito aquele que vem em nome do Senhor! O Bispo é um enviado por Deus para apascentar o rebanho, vem não em seu nome próprio, mas em nome d’Aquele que o enviou. Daí que, a recepção de um Bispo está confirmada pela sucessão Apostólica, dada pelo próprio Cristo e firmada pela Tradição da Igreja, na qual se manifesta o mandato do Senhor: “Ide e fazei que todas as nações se tornem meus discípulos, batizando-as e ensinando-as a observar tudo o que vos ordenei” (Mt. 28,19-20). Esse mandato do Senhor reveste-se de um significado mais profundo em virtude do Lema Episcopal de Dom Delson ser “Ide aos meus irmãos”.

   Desse modo, a nossa Igreja, como uma noiva à espera do seu noivo em dia de núpcias, estará toda jubilosa para celebrar pedindo a intercessão da Virgem Maria na esperança de que, unidos ao nosso Bispo, sejamos um sinal da verdadeira comunidade de fé e amor. Todo o rito e os elementos que compõem essa celebração manifestam a unidade da Igreja, bem como a sua diversidade, por isso, essa posse realiza-se na Igreja Catedral, símbolo da unidade diocesana onde está a sede da presidência, cátedra ou cadeira, da qual o Bispo presidirá como guia e mestre, o seu povo.

   Esta solenidade é rica em sua ritualidade e simbolismo litúrgico, teológico e espiritual. Não se trata de um mero cumprimento do protocolo canônico, apesar de obrigatório, mas de uma antiquíssima riqueza eclesial que vai sendo desdobrada em gestos tão belos que dão prazer de estar presente. O primeiro momento é a recepção do Bispo na porta da Catedral que receberá o crucifixo, beija-o em sinal de respeito e reverência; entrará aspergindo e abençoando os presentes; fará uma oração silenciosa na Capela do Santíssimo Sacramento; receberá o báculo pastoral das mãos do Arcebispo Metropolitano ou outro designado para esta tarefa e será feita a leitura das Letras Apostólicas (Bula de nomeação do Papa Bento XVI). Depois, todo o Clero acolherá com o abraço fraterno seu novo Pastor e segue-se a missa normalmente.

   Portanto, esperamos que a chegada do nosso Bispo, seja um momento fecundo para a nossa Igreja Diocesana, levando o rebanho sentir-se cada vez mais motivado a continuar seguindo Jesus, nosso Senhor e Bom Pastor. E que Dom Delson possa, sob à  Luz do Espírito e à égide da sua excelsa Padroeira Nossa Senhora da Conceição, reger esta nossa Igreja de Deus que está em Campina Grande, em nome do Pai, de quem o bispo é a imagem entre os fieis; em nome do Filho, cuja missão de mestre, sacerdote e pastor ele exerce; e em nome do Espírito Santo que dá vida e força à Igreja de Cristo, e a fortalece em sua fraqueza.  Seja bem-vindo Dom Delson, pode contar conosco, seus diocesanos. Assim seja.


Pe. Márcio Henrique Mendes Fernandes
Administrador Diocesano

Fonte: http://pemarcio.blogspot.com.br